an online Instagram web viewer

#livro94 medias

Photos

LIDO!! Miss Marple mais uma vez resolve a parada!! Só não gosto muito de estórias em que ela não assume o papel principal nas investigações. Em alguns livros que li ela aparece mais quando 80% da trama já se desenrolou e os investigadores ainda se encontram com muitas dúvidas, como no caso deste livro. Mas, mesmo assim, tal fato não tira o brilho do enredo marcante da Agatha!! Vale a pena.😍 Livro: Cem Gramas de Centeio. Autora: Agatha Christie. Editora: Nova Fronteira : Págs: 232. #livro94 #bibliotecadoconhecimento #agatha #missmarple  #rainhadocrime #book #livro #leitura
LIDO!! Miss Marple mais uma vez resolve a parada!! Só não gosto muito de estórias em que ela não assume o papel principal nas investigações. Em alguns livros que li ela aparece mais quando 80% da trama já se desenrolou e os investigadores ainda se encontram com muitas dúvidas, como no caso deste livro. Mas, mesmo assim, tal fato não tira o brilho do enredo marcante da Agatha!! Vale a pena.😍 Livro: Cem Gramas de Centeio. Autora: Agatha Christie. Editora: Nova Fronteira : Págs: 232. #livro94  #bibliotecadoconhecimento  #agatha  #missmarple  #rainhadocrime  #book  #livro  #leitura 
Mais um da Rainha do Crime!!! Não dá pra cansar de Agatha, né? 😍Livro: Cem Gramas de Centeio. Autora: Agatha Christie. Editora: Nova Fronteira : Págs: 232. #livro94 #bibliotecadoconhecimento #agatha #missmarple  #rainhadocrime #book #livro #leitura
Bruxaria, sarcasmo e mulheres! Receita perfeita para um romance.

#asviuvasdeeastwick #jonhupdike #ficcaoamericana #bruxaria #deusa #wicca #leitura94doano #livro94 #8leituradomes
"As batidas do seu coração fazem o mundo continuar girando." — O Silêncio das Águas

#boanoite #brittainyccherry #livro94 #editorarecord
#Livro94.
O #bookstagram : "A Rainha vermelha" 👸🏻
.
“Uma sociedade dividida pelo sangue. Um jogo definido pelo poder.”
.
O livro gira em torno de uma sociedade distópica que utiliza o sistema monarca, e é dividida pelo sangue: vermelhos e prateados. Os vermelhos são pessoas comuns, que fazem os trabalhos pesados, vivem na pobreza; enquanto que os prateados são considerados “deuses”, a elite que controla o povo com seus poderes. Mare Barrow é uma vermelha, que se vê prestes a encarar seu futuro: A guerra, pois ja completará a maioridade e não possuía emprego (jovens com 18 anos e desempregados eram obrigados a ir para a guerra). Entretanto, por acaso do destino, ela conhece Tiberias Calore (ou só Cal; ele é o príncipe herdeiro do trono). Ele lhe consegue um emprego de criada no palácio, mas sem revelar a ela sua identidade de príncipe. Mare está servindo prateados em um camarote, durante a Prova Real (quando várias garotas exibem seus poderes para o príncipe, com o intuito de ser escolhida e tornar a futura rainha), quando sofre um acidente em frente ao rei e a toda a nobreza. A partir disso, a vida da protagonista vira de cabeça para baixo, e agora precisa ser esperta se quiser continuar viva e manter sua família a salvo, visto que se tornou uma ameaça à nobreza, e ate mesmo um símbolo de rebelião.
.
O livro é uma fantasia incrível, com uma leitura rápida e muito gostosa, daquelas que é possível ler centenas de páginas em pouco tempo sem nem notar. Temos uma protagonista forte e decidida, e uma trama repleta de reflexões sociais: abuso de poder, segregação racial, exibições políticas que colaboram para manter a população sob as garras dos soberanos, e a ameaça constante de uma revolução populacional. O final do livro é surpreendente, a autora dá um tapa na cara da sociedade, nós amamos o desfecho. Para quem gosta de fantasia, monarquia, poderes e uma aventura cheia de intrigas, manipulações e triângulo amoroso, não vai se decepcionar com a obra. Nós amamos!! Enfim, a obra faz o estilo ame ou odeie, então é sempre bom dar uma chance e descobrir por si mesmo os segredos que as páginas revelam.
.
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟
#Livro94 . O #bookstagram  : "A Rainha vermelha" 👸🏻 . “Uma sociedade dividida pelo sangue. Um jogo definido pelo poder.” . O livro gira em torno de uma sociedade distópica que utiliza o sistema monarca, e é dividida pelo sangue: vermelhos e prateados. Os vermelhos são pessoas comuns, que fazem os trabalhos pesados, vivem na pobreza; enquanto que os prateados são considerados “deuses”, a elite que controla o povo com seus poderes. Mare Barrow é uma vermelha, que se vê prestes a encarar seu futuro: A guerra, pois ja completará a maioridade e não possuía emprego (jovens com 18 anos e desempregados eram obrigados a ir para a guerra). Entretanto, por acaso do destino, ela conhece Tiberias Calore (ou só Cal; ele é o príncipe herdeiro do trono). Ele lhe consegue um emprego de criada no palácio, mas sem revelar a ela sua identidade de príncipe. Mare está servindo prateados em um camarote, durante a Prova Real (quando várias garotas exibem seus poderes para o príncipe, com o intuito de ser escolhida e tornar a futura rainha), quando sofre um acidente em frente ao rei e a toda a nobreza. A partir disso, a vida da protagonista vira de cabeça para baixo, e agora precisa ser esperta se quiser continuar viva e manter sua família a salvo, visto que se tornou uma ameaça à nobreza, e ate mesmo um símbolo de rebelião. . O livro é uma fantasia incrível, com uma leitura rápida e muito gostosa, daquelas que é possível ler centenas de páginas em pouco tempo sem nem notar. Temos uma protagonista forte e decidida, e uma trama repleta de reflexões sociais: abuso de poder, segregação racial, exibições políticas que colaboram para manter a população sob as garras dos soberanos, e a ameaça constante de uma revolução populacional. O final do livro é surpreendente, a autora dá um tapa na cara da sociedade, nós amamos o desfecho. Para quem gosta de fantasia, monarquia, poderes e uma aventura cheia de intrigas, manipulações e triângulo amoroso, não vai se decepcionar com a obra. Nós amamos!! Enfim, a obra faz o estilo ame ou odeie, então é sempre bom dar uma chance e descobrir por si mesmo os segredos que as páginas revelam. . Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟
Iniciando,

Vinte e quatro mulheres à sua disposição. Um coração incapaz de ceder. 
Rohan Sen é um solteirão convicto, vocalista da Four River, uma banda de rock conhecida internacionalmente. Galã nas horas vagas (e nas ocupadas também), desistiu do romantismo após ser largado no altar em rede nacional. 
Tudo estava bem, até que foi convidado para ser o astro de "O Cobiçado", um novo reality show. 
Aillen Kern encontrou na voz rouca de Sen, um bálsamo para as dores da perda. Após a morte de seu noivo, ela se entregou ao luto, trancando seu coração, mas não o seu amor pela música. 
Só não esperava ter a chance de conhecer seu ídolo, um dia. Menos ainda participar de um programa em busca de um novo amor, algo que ela decidiu nunca mais procurar. 
Encontrar o amor em um programa de TV parece improvável, mas a vida pode surpreender. 🎤🎼🎸
#livro94 #meta150livros #mariscotti #ocobiçado
Iniciando, Vinte e quatro mulheres à sua disposição. Um coração incapaz de ceder. Rohan Sen é um solteirão convicto, vocalista da Four River, uma banda de rock conhecida internacionalmente. Galã nas horas vagas (e nas ocupadas também), desistiu do romantismo após ser largado no altar em rede nacional. Tudo estava bem, até que foi convidado para ser o astro de "O Cobiçado", um novo reality show. Aillen Kern encontrou na voz rouca de Sen, um bálsamo para as dores da perda. Após a morte de seu noivo, ela se entregou ao luto, trancando seu coração, mas não o seu amor pela música. Só não esperava ter a chance de conhecer seu ídolo, um dia. Menos ainda participar de um programa em busca de um novo amor, algo que ela decidiu nunca mais procurar. Encontrar o amor em um programa de TV parece improvável, mas a vida pode surpreender. 🎤🎼🎸 #livro94  #meta150livros  #mariscotti  #ocobiçado 
#livro94: "A Revolução Brasileira", de Caio Prado júnior.  Meu historiador favorito e que me ajuda a dar uma lição aos esquerdopatas fanáticos dos últimos tempos: neste livro Caio Prado renúncia a seu passado socialista e ataca a percepção de eterna luta de classes. Defende que o Brasil apenas será uma economia desenvolvida quando enfrentar as mazelas de seu passado colonial e fazer a ruptura para uma política participativa e sem discussões minimalistas baseadas em contas do passado histórico.  Muito atual não? 
Os esquerdistas detestam Caio Prado por conta dessa renúncia ao ideário do partidão. Melhor pra ele pois é até hoje o único que realmente pode ser levado a sério. 
Abaixo a introdução do livro que comprova sua atualidade:

É nesse sentido que o termo “revolução” é empregado no título do presente livro. O que se objetiva nele é essencialmente mostrar que o Brasil se encontra na atualidade em face ou na iminência de um daqueles momentos acima assinalados em que se impõem de pronto reformas e transformações capazes de reestruturarem a vida do país de maneira consentânea com suas necessidades mais gerais e profundas, e as aspirações da grande massa de sua população que, no estado atual, não são devidamente atendidas. Para muitos – mas assim mesmo, no conjunto do país, minoria insignificante, embora se faça mais ouvir porque detém nas suas mãos as alavancas do poder e a dominação. econômica, social e política – tudo vai, no fundamental, muito bem, faltando apenas (e aí se observam algumas divergências de segunda ordem) alguns retoques e aperfeiçoamentos das atuais instituições, às vezes não mais que simples mudança de homens nas posições políticas e administrativas, para que o país encontre uma situação e um equilíbrio satisfatórios. Para a grande maioria restante, contudo, e mesmo que ela não se dê sempre conta perfeita da realidade, incapaz que é de projetar em plano geral e de conjunto suas insatisfações, seus desejos e suas aspirações pessoais, o que se faz mister, para lhe dar condições satisfatórias e seguras de existência, é muito mais que aquilo. E sobretudo algo de mais profundo e que leve a vida do país por novo rumo.
#livro94 : "A Revolução Brasileira", de Caio Prado júnior. Meu historiador favorito e que me ajuda a dar uma lição aos esquerdopatas fanáticos dos últimos tempos: neste livro Caio Prado renúncia a seu passado socialista e ataca a percepção de eterna luta de classes. Defende que o Brasil apenas será uma economia desenvolvida quando enfrentar as mazelas de seu passado colonial e fazer a ruptura para uma política participativa e sem discussões minimalistas baseadas em contas do passado histórico. Muito atual não? Os esquerdistas detestam Caio Prado por conta dessa renúncia ao ideário do partidão. Melhor pra ele pois é até hoje o único que realmente pode ser levado a sério. Abaixo a introdução do livro que comprova sua atualidade: É nesse sentido que o termo “revolução” é empregado no título do presente livro. O que se objetiva nele é essencialmente mostrar que o Brasil se encontra na atualidade em face ou na iminência de um daqueles momentos acima assinalados em que se impõem de pronto reformas e transformações capazes de reestruturarem a vida do país de maneira consentânea com suas necessidades mais gerais e profundas, e as aspirações da grande massa de sua população que, no estado atual, não são devidamente atendidas. Para muitos – mas assim mesmo, no conjunto do país, minoria insignificante, embora se faça mais ouvir porque detém nas suas mãos as alavancas do poder e a dominação. econômica, social e política – tudo vai, no fundamental, muito bem, faltando apenas (e aí se observam algumas divergências de segunda ordem) alguns retoques e aperfeiçoamentos das atuais instituições, às vezes não mais que simples mudança de homens nas posições políticas e administrativas, para que o país encontre uma situação e um equilíbrio satisfatórios. Para a grande maioria restante, contudo, e mesmo que ela não se dê sempre conta perfeita da realidade, incapaz que é de projetar em plano geral e de conjunto suas insatisfações, seus desejos e suas aspirações pessoais, o que se faz mister, para lhe dar condições satisfatórias e seguras de existência, é muito mais que aquilo. E sobretudo algo de mais profundo e que leve a vida do país por novo rumo.