an online Instagram web viewer

Images at Hospital Universitário Clementino Fraga Filho - UFRJ

Biópsia para Diagnóstico dos Tumores Ósseos

Se existe uma suspeita de um tumor ósseo, a biópsia é necessária para confirmar o diagnóstico. A biópsia é um procedimento no qual uma amostra de tecido é removida e encaminhada para análise de um patologista.

Os principais tipos de biópsias para diagnóstico do tumor ósseo são: * Biópsia por agulha
Existem dois tipos de biópsias de agulha: punção aspirativa por agulha fina (PAAF) e biópsia de fragmento com agulha (BFA). Ambos os procedimentos são realizados sob anestesia geral. * Punção Aspirativa por Agulha Fina (PAAF) - Consiste na remoção de uma amostra de uma pequena quantidade de fluído e algumas células a partir da massa tumoral. A PAAF é um procedimento rápido e pode ser realizado com anestésico local, embora normalmente não seja necessário. Na PAAF é utilizada uma agulha de calibre de 20/21G acoplada a uma seringa para aspiração. O posicionamento da agulha é comumente guiado por ultrassom. A coleta do material é realizada com movimentos de vai-e-vem da seringa. O procedimento poderá ser repetido diversas vezes, até que se obtenha quantidade suficiente de material, que posteriormente será colocado em lâminas. O material obtido é submetido à análise citológica. * Biópsia de Fragmento com Agulha (BFA) - Consiste na retirada de fragmentos de tecido, com uma agulha de calibre um pouco mais grosso que da PAAF, acoplada a uma pistola especial. O posicionamento da agulha de biópsia poderá ser guiado por tomografia ou ultrassom. Durante o procedimento são retirados vários fragmentos de alguns milímetros. Esse procedimento permite visualizar na tela do equipamento de imagem, em tempo real, a área a ser biopsiada, a agulha, e o seu trajeto até a região da lesão, além da quantidade de tecido que ainda deverá ser retirada. Após localização da área a ser biopsiada é realizada a assepsia da pele e, em seguida, o trajeto da agulha de biópsia será anestesiado. Posteriormente é feita uma pequena incisão na pele com bisturi, para facilitar a introdução da agulha de biópsia. Os fragmentos são obtidos por movimentos da agulha dentro da lesão, a cada incursão, a agulha será retirada e o fragmento colhido em um frasco * Biópsia
Biópsia para Diagnóstico dos Tumores Ósseos Se existe uma suspeita de um tumor ósseo, a biópsia é necessária para confirmar o diagnóstico. A biópsia é um procedimento no qual uma amostra de tecido é removida e encaminhada para análise de um patologista. Os principais tipos de biópsias para diagnóstico do tumor ósseo são: * Biópsia por agulha Existem dois tipos de biópsias de agulha: punção aspirativa por agulha fina (PAAF) e biópsia de fragmento com agulha (BFA). Ambos os procedimentos são realizados sob anestesia geral. * Punção Aspirativa por Agulha Fina (PAAF) - Consiste na remoção de uma amostra de uma pequena quantidade de fluído e algumas células a partir da massa tumoral. A PAAF é um procedimento rápido e pode ser realizado com anestésico local, embora normalmente não seja necessário. Na PAAF é utilizada uma agulha de calibre de 20/21G acoplada a uma seringa para aspiração. O posicionamento da agulha é comumente guiado por ultrassom. A coleta do material é realizada com movimentos de vai-e-vem da seringa. O procedimento poderá ser repetido diversas vezes, até que se obtenha quantidade suficiente de material, que posteriormente será colocado em lâminas. O material obtido é submetido à análise citológica. * Biópsia de Fragmento com Agulha (BFA) - Consiste na retirada de fragmentos de tecido, com uma agulha de calibre um pouco mais grosso que da PAAF, acoplada a uma pistola especial. O posicionamento da agulha de biópsia poderá ser guiado por tomografia ou ultrassom. Durante o procedimento são retirados vários fragmentos de alguns milímetros. Esse procedimento permite visualizar na tela do equipamento de imagem, em tempo real, a área a ser biopsiada, a agulha, e o seu trajeto até a região da lesão, além da quantidade de tecido que ainda deverá ser retirada. Após localização da área a ser biopsiada é realizada a assepsia da pele e, em seguida, o trajeto da agulha de biópsia será anestesiado. Posteriormente é feita uma pequena incisão na pele com bisturi, para facilitar a introdução da agulha de biópsia. Os fragmentos são obtidos por movimentos da agulha dentro da lesão, a cada incursão, a agulha será retirada e o fragmento colhido em um frasco * Biópsia